São Paulo, 10 de maio de 2019

Artigo: Conexão Brasil-Ásia

Foi instituída nesta semana na Câmara Municipal de São Paulo a Frente Parlamentar de Cooperação Política e Cultural Brasil, China, Coreia e Japão. O propósito central da Frente, idealizada pela vereadora Soninha Francine, é abrir um espaço de diálogo entre as representações de cada país e o Poder Público da capital paulista. Também é uma resposta às demandas por mais articulação e cooperação vindas destas comunidades.

É exponencial o crescimento das relações internacionais entre o Brasil e três destes países em especial: China, Japão e Coreia.

No caso da China, esta vem se constituindo em uma das principais fontes de investimento no Brasil – entre 2001 e 2015 o valor passou de US$3,2 bilhões para US$ 66,3 bilhões. Já em 2009, o país passou a figurar como o maior mercado comprador das exportações brasileiras, além de tornar-se o principal fornecedor de produtos importados ao Brasil quatro anos depois. Em 2015, o Brasil tornou-se membro fundador do Banco Asiático de Infraestrutura e Investimento.

Com o Japão, as relações brasileiras englobam, por exemplo, o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação, que completou 120 anos em 2015. Em 2016, o país figurou como o terceiro principal parceiro comercial do Brasil na Ásia e o sétimo no mundo. Este possui o sexto maior estoque de investimentos externos diretos (IEDs) no Brasil. Em 2014, o número chegava a US$26,8 bilhões. No m esmo ano, o fluxo de investimentos japoneses para o Brasil somou US$ 3,7 bilhões.

O número estimado de cidadãos brasileiros com ascendência japonesa é de 1,5 milhão. De acordo com o Consulado Geral do Japão em São Paulo, na capital estão cerca de 400 mil japoneses.

As relações diplomáticas entre o Brasil e a República da Coreia (Coreia do Sul) foram estabelecidas em 1959. O Brasil foi o oitavo país do mundo e o primeiro latino-americano a proceder ao reconhecimento oficial do país. Dentre as nações latino-americanas, somos a única a possuir embaixadas residentes nas duas Coreias e hoje, na cidade de São Paulo, temos cerca de 50 mil coreanos residentes.

Por tudo isso, e considerando também o fato de São Paulo ser polo da indústria de negócios e do empreendedorismo onde muitos descendentes asiáticos estarem no comando de comércios regionais e familiares, tomou-se decisão de criar a Frente Parlamentar. Que ela renda muitos frutos.

[manual_related_posts]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *