São Paulo, 11 de junho de 2012

Banheiros em feiras livres

O Fato

Feiras livres fazem parte do cenário paulistano desde meados do século XVII. Hoje, a cidade de São Paulo conta com cerca de 900 Feiras Livres semanais, que funcionam de terça-feira a domingo, das 7h30 às 13 horas, espalhadas por todos os bairros. O número de comerciantes por feira é variável.

Algumas feiras chegam a ter mais de cem barracas, fora os ambulantes e outros trabalhadores que vivem da oferta de pequenos serviços, como os carregadores. Circulam ainda por esse ambiente milhares de consumidores diariamente

Como mercado de trabalho, estima-se que as feiras gerem renda para aproximadamente 40 mil pessoas.

O Problema

No ramo de Feiras Livres muita coisa mudou, evoluiu e se modernizou ao longo do tempo, mas vejamos: quem frequenta a feira do seu bairro toda semana, conhece quase todos os feirantes e suas barracas, come aquele delicioso pastel e toma seu caldo de cana, já parou para pensar como trabalhadores e consumidores se viram quando precisam ir ao banheiro? É disso que se trata: não existem banheiros públicos nas feiras.

Embora funcionem de terça-feira a domingo, das 7h30 às 13 horas, espalhadas por todos os bairros, a instalação das barracas das feiras ocorre a partir das 6 horas, ou até antes, e a desmontagem é até às 14 horas. Nesse tempo, o feirante, que chega a passar até 12 horas na rua, depende exclusivamente do favor dos comerciantes e da vizinhança.

A Solução

A questão, levantada durante minha participação no programa de entrevistas da Clik TV, transmitido via internet, me alertou sobre a urgente necessidade de instalação de banheiros químicos nas Feiras Livres. Banheiros já exigidos em shows e outros eventos que envolvam aglomeração na cidade. Se há regras para obrigar o particular a zelar pela saúde pública, creio que o próprio Poder Público precisa fazer a sua parte nesse tema.

Assim, nada mais justo, confortável e saudável que sejam instalados banheiros químicos nas nossas Feiras Livres, para que seus trabalhadores tenham condições, inclusive, de oferecer um serviço cada vez mais qualificado, afinal comercializam cerca de 60% da produção de hortifrutigranjeiros, além do tradicional comércio de pescados.

Vamos discutir a ideia.

Tags: , , , ,

[manual_related_posts]

6 Respostas para Banheiros em feiras livres

  1. Além disto poderia ser colocado dispensadores de álcool em gel para higienizar as mãos! Isto ajuda tanto a evitar doenças e é tão barato!!!!
    Rui Dammenhain

    • Equipe Covas 45000 disse:

      Sem dúvida, também é uma ótima ideia que pode ser agregada ao projeto, afinal em um local onde se comercializam alimentos todo cuidado com a higiene é fundamental. Obrigado pela sugestão.

  2. Pedro disse:

    Interessante, mas creio que primeiro São Paulo mereça ter banheiros públicos em vários locais, permanentemente. Várias cidades como Paris possuem banheiros públicos em inúmeros pontos da cidade. Acho uma vergonha que numa cidade como São Paulo, após caminhar por suas ruas, não se ache um banheiro sem depender da benevolência de estabelecimentos privados. Também sugiro modelos de banheiros públicos diferentes do químico, que possuem grau de higiene muito melhor.

    • Equipe Covas 45000 disse:

      Mais uma vez você está certo, Pedro. São Paulo também precisa de banheiros públicos por toda cidade, mas no caso específico das feiras livres, que cada dia são instaladas em um novo local, o banheiro químico é a melhor opção. Um abraço.

  3. cecília beatriz nicoláu coelho disse:

    Acho excelente a idéia do banheiro público nas feiras livres, pois eu mesma andei oferecendo minha residência aos mais amigos que possuem suas barracas. Claro que não aceitaram, acho que mais por vergonha. Usam os banheiros dos bares e restaurantes próximos à feira e/ou suas barracas…. Coisa que acho tb desagradável. Creio mesmo que alguns nem fazem uso desse tipo de coisa, pq têm vergonha de pedir pra que se use o banheiro do local… Creio tb que deva ser instruído aos feirantes como usar o banheiro e manter a limpeza do mesmo, pq se for igual estádio de futebol não se terá condição nenhuma de higiene, o que ocasiona alto índice de vírus, mts vezes deixados pelo mal uso do referido banheiro. Trata-se somente de beneficiar o usuário, pois de nd adiantará a instalação do banheiro se quem faz uso dele não tem a mínima noção de higiene. Parabéns ao vereador Mario Covas Neto pela medida….

  4. Marco Aurélio Manuppella disse:

    Sem dúvida isto é necessário

    porém penso na possibilidade de as feiras livres acontecerem em espaços desocupados e desabitados que hoje são muitos pela cidade e que muitos destes sõ inclusive de propriedade da gestão pública, e outros da inciativa privada e que poderiam ser remanejaods para serem áreas onde as feiras se instalassem.

    isto poderia trazer uma melhor qualidade e também contribuiria com o transito não obstruindo rua no dia da feira livre. E por consequencia não obstruiria alguns comércios que em dia de feira ficam impossibiltados de prestar seus serviços como empresa.

    A idéia é meio bruta mais acredito que se parar para pensar sentar e discutir ela pode ganhar novos contextos e novos horizontes.

    Ficadica..

    Abs…

    Vereador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *