Opinião

Haja lixo!

Imunda e largada à própria sorte: essa é a realidade de São Paulo hoje

Não é de espantar a notícia de que as reclamações sobre falta de limpeza e jardinagem batem recorde na atual gestão. Na verdade, era só questão de tempo. São Paulo está imunda e largada à própria sorte.

O problema salta aos olhos não só em uma, mas em todas as regiões da cidade. Seja nos bairros nobres, no Centro ou na periferia, pilhas de lixo, entulho, mato alto e abandono de estruturas estão presentes.

Segundo dados da Ouvidoria Geral do Município, o número de queixas no primeiro trimestre (773) é o maior desde o início da série histórica, iniciada em 2005. Claro que a culpa pelo cenário não cabe unicamente ao prefeito, mas o inexistente senso de zeladoria dele colabora – e muito – para tornar o problema ainda mais evidente.

Reportagens veiculadas na imprensa relatam casos de pessoas que arriscam suas vidas ao andar pelo meio da rua por conta de calçadas tomadas de lixo. Não raramente, o entulho passa semanas intocado no mesmo lugar, sem qualquer providência por parte da administração municipal.

Quem trafega pela região dos Arcos do Jânio ou pelo túnel 9 de Julho, por exemplo, não consegue passar ileso pelo descaso. Pichações e o acúmulo de lixo deixam claro o pouco caso. Até as propagandeadas ciclofaixas tornaram-se canteiros para despejo de resíduos que vão de blocos de concreto a galhos de árvore que caíram com as chuvas. Se essa realidade é vista no Centro, imagine nas outras regiões da cidade!

Com sua característica prepotência, a gestão petista credita o aumento no número de reclamações à ampliação dos canais de atendimento aos cidadãos. É fazer pouco da inteligência de qualquer um, afinal se o serviço oferecido é de qualidade, independentemente da quantidade de meios para contato, as queixas não batem recordes.

Não há como disfarçar: nem toda superprodução da propaganda eleitoreira do PT para a TV é suficiente para aplacar a realidade lamentável vista nas ruas de São Paulo.

Conheça nosso mandato mais de perto

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *