Comissão da Verdade

Investigar violações de direitos humanos durante a ditadura militar. Esse foi o principal papel da segunda fase da Comissão da Verdade Vladimir Herzog.

Depoimentos de pessoas que viveram intensamente o regime – entre eles, o de torturados e torturadores – foram vitais na missão de trazer à tona fatos omitidos por quase 20 anos pela censura que vigorava à época. Dos temas abordados, a morte do ex-presidente Juscelino Kubitschek teve atenção especial. Das declarações ouvidas sobre os envolvidos no caso, foi produzido um documento com 114 indícios que apontaram para o assassinato de JK, e não para um ocasional acidente de carro, como defende a versão oficial.