CPI da Sabesp

A investigação de contratos entre a prefeitura e a Sabesp levou à criação desta comissão na esteira da maior estiagem enfrentada por São Paulo em 84 anos. Nas reuniões, Covas cobrou explicações dos representantes da prefeitura quanto a aplicação do dinheiro encaminhado aos cofres do governo pela distribuidora de água – cerca de R$ 1,3 bilhão – em obras de saneamento básico e na execução do Programa Mananciais.

Dos trabalhos do colegiado nasceu a lei que proíbe a lavagem de calçadas com água tratada ou potável e fornecida por meio da rede da Sabesp. A intenção é justamente combater o desperdício de água, sobretudo em períodos de escassez de chuvas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *