São Paulo, 25 de março de 2012

Cidade 24 horas

O Fato

São Paulo não para. Uma cidade que nunca dorme. A metrópole em constante movimento, considerada a 14ª mais globalizada do planeta, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Globalization and World Cities Study Group & Network (GaWC), já oferece a seus moradores e visitantes uma variedade enorme de serviços que funcionam o tempo inteiro. Na madrugada paulistana inúmeras opções: bares, restaurantes, cafés, floriculturas, farmácias, supermercados, academias de ginástica e até loja de material de construção, dentre outros. E não falta público para aproveitar esses horários alternativos. Alguns desses estabelecimentos registram até 20% do faturamento diário no período noturno.

O Problema

Considerando seu perfil superlativo, São Paulo tem plenas condições de aproveitar melhor sua vocação 24 horas, hoje espalhada por todos os bairros.

A Solução

Por que não se criar um polo 24hs na região central da cidade, com comércio aberto dia e noite e que sirva como ponto de encontro de pessoas em diferentes horários, mantendo uma ocupação constante nesse espaço que, após as 18 horas, sofre um significativo esvaziamento?

O Centro já conta com toda infraestrutura urbana montada, além de ser passagem entre as zonas Leste e Sul, as mais povoadas da cidade, e receber transporte público de todas as regiões, incluindo linhas de ônibus, trens (estações Luz e Júlio Prestes) e metrô, este último com dez estações na região, facilitando a circulação de consumidores, funcionários, turistas, etc

As vantagens são muitas: contribuir para a necessária revitalização do Centro, que já conta com iniciativas como a Sala São Paulo, o Museu da Língua Portuguesa e a Pinacoteca do Estado, na área da Luz, além de proporcionar mais segurança em toda região, uma vez que todo esse movimento vai exigir uma maior e constante presença da Polícia.

Com o aumento do horário de funcionamento do comércio e serviços e, por consequência, da jornada de trabalho dos funcionários, naturalmente será necessária a criação de novos postos de trabalho, o que vai garantir mais empregos para a população e, talvez, até despertar o interesse das pessoas em voltar a fixar residência na região, que sofreu grande evasão de moradores nas últimas décadas.

O trânsito também tende a melhorar, uma vez que o movimento será mais distribuído ao longo do dia, proporcionando maior mobilidade, diminuindo os congestionamentos e, consequentemente, a emissão de gases dos escapamentos, o que contribuirá para a melhoria da qualidade do ar e do meio ambiente em geral.

Aos comerciantes, poderão ser oferecidos alguns estímulos para que mantenham abertos 24hs seus estabelecimentos no Centro. O Polo 24 Horas será também uma grande oportunidade de gerar novos tipos de empreendimentos, tornando-se mais um cartão postal da cidade, com novas opções de programas, passeios, compras e beneficiando diretamente o turismo gastronômico, cultural e de negócios, que hoje são os pontos fortes do setor. Sem esquecer o potencial aumento de arrecadação do município, que poderá ser revertido em benefício de outras áreas como saúde, educação, transportes e muito mais. Vamos amadurecer juntos essa ideia.

Tags: , , , , , ,

[manual_related_posts]

4 Respostas para Cidade 24 horas

  1. Denise disse:

    Uma ideia muito boa que, se for acompanhada de um bom projeto de segurança, pode realmente contribuir para que Sao Paulo se torne uma metropole com condiçoes de receber e abraçar nao somente seus moradores, como alavancar o turismo, melhorando a imagem internacional e atraindo recursos externos.
    Temos exemplos de outras grandes cidades em paises estrangeiros, que transformaram seus centros em polos nao somente comerciais, mas de entretenimento.
    Unindo este projeto ao de tirar Sao Paulo da escuridao, com certeza o centro poderia reviver e respirar novamente….
    Parabens!

  2. Fernando dos Santos Graça disse:

    Concordo plenamente com você, porém, conforme seu próprio comentário, a zona leste é sim uma das mais populosas, temos hoje, aproximadamente 5 (cinco) milhões de habitantes, quase a metade da população da nossa cidade, mas os números, não são grandes somente ai, também temos índices elevados no que diz respeito a carência de políticas públicas e serviços como EDUCAÇÃO, TRANSPORTE, INFRAESTRUTURA E CULTURA, continuamos marginalizados pelas autoridades, continuamos carentes de pessoas públicas que realmente se interessem pelo desenvolvimento deste setor. Gostariamos muito que alguém nos assistisse, e que se mantivesse presente, não só agora enquanto se fala em copa do mundo e construção do “Itaquerão”, pois com certeza, logo após o evento, cairemos novamente no esquecimento.
    Vamos sim revitalizar o Centro, mas não vamos esquecer de onde vem aqueles o frequentam.

  3. Lucia disse:

    A regeneracao de areas urbanas em centro de grandes cidades foi observada ao vivo por mim, em Stratford, bairro popular junto ao centro bancario de Londres e tambem em Melbourne Docklands na Australia. Alem disso, nas margens do Rio Tamisa, em Londres, ha muitos anos que antigas fabricas e depositos caindo aos pedacos vem sendo transformados em Edificios de apartamentos, restaurantes, galerias de arte, shopping centres, supermercados, etc. Como vivo ha quase 20 anos perto desse rio, pude presenciar coisas incriveis como a transformacao de um deposito ao ar livre de carros usados empilhados um por cima do outro ate seis ou oito metros de altura numa area de cerca de 8 mil m2 em edificios para moradia de cidadaos normais. A regeneracao de Londres e inspiracional, se e que essa palavra existe. Acredito que o mesmo va ocorrer no centro da vibrante e poderosa cidade de Sao Paulo no projeto Polo 24 horas.

    Boa Sorte!

  4. juliana piotto disse:

    Revitalizar o centro é atrair turismo e aumentar o comércio com segurança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *